Parâmetros e divergência genética para identificação de resistência à antracnose e à bacteriose em acessos de mandioca

Leandro Escobar Dalarosa, Livia Maria Chamma Davide, Manoel Carlos Gonçalves, Lilian Maria Arruda Bacchi, Adriano dos Santos, Amanda Gonçalves Guimarães, José Leonardo da Silva, Rogério Catarino Lima da Costa, Gabriela Aparecida de Almeida Amorim

Resumo


O objetivo deste trabalho foi estimar os parâmetros genéticos de genótipos de mandioca (Manihot esculenta) cultivados em campo, bem como a divergência genética entre eles, para identificar quais apresentam maior resistência à antracnose e à bacteriose. Foram realizados três experimentos independentes, tendo-se avaliado 133 acessos e nove cultivares comerciais de mandioca distribuídos em cinco blocos, com cinco plantas por parcela, em cada experimento. No primeiro experimento, as plantas foram submetidas à inoculação de Xanthomonas phaseolis pv. manihotis (bacteriose). No segundo, as plantas foram submetidas à inoculação de Colletotrichum gloeosporioides f. sp. manihotis (antracnose). No terceiro, realizado em delineamento de blocos aumentados e sob ocorrência natural das doenças, foram feitas avaliações visuais das plantas por escala de notas. A herdabilidade foi utilizada como parâmetro genético, e o método de grupos de pares não ponderados com média aritmética foi aplicado para determinação de divergência genética e agrupamento. No terceiro experimento, detectaram-se diferenças genéticas entre os acessos, que foram avaliados quanto à área abaixo da curva de progressão da doença (AUDPC) para antracnose e bacteriose. No primeiro e no terceiro experimentos de bacteriose, as chances de sucesso na seleção de acessos resistentes são maiores, em razão dos altos valores de herdabilidade obtidos. Os acessos BGM-1170 e BGM-1134 mostram as menores médias de AUDPC e são considerados resistentes à antracnose e à bacteriose.


Palavras-chave


Manihot esculenta; Colletotrichum gloeosporioides f. sp. manihotis; Xanthomonas phaseoli pv. manihotis; herdabilidade; resistência.

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461