Filtros solares inorgânicos incorporados à cera de carnaúba e incidência de mancha preta em tangerinas

Fernanda Varela Nascimento, Rosa Maria Valdebenito-Sanhueza, Renar João Bender

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos dos óxidos de zinco (ZnO) e titânio (TiO2), adicionados à emulsão de cera de carnaúba, sobre a incidência de mancha preta dos citros (MPC) causada por Phyllosticta citricarpa e, consequentemente, sobre a qualidade de tangerinas. Emulsões de cera com adição de ZnO ou TiO2 foram aplicadas a concentrações de até 8% em cultivares tardias de tangerinas. Foram realizados três experimentos, em delineamento de quatro blocos completos ao acaso, com dois tratamentos controle – um com a aplicação apenas da emulsão de cera de carnaúba e outro sem a aplicação da emulsão. As pulverizações com ZnO e TiO2 reduziram a incidência da doença em frutos colhidos; no entanto, os aumentos nas concentrações dos óxidos não melhoraram o controle da doença. Duas aplicações consecutivas dos óxidos inibiram a atividade fotossintética das plantas, tendo afetado negativamente a sua produção, e causaram danos na casca das frutas. Tangerinas infectadas artificialmente com a suspensão de 105 conídios mL-1 de P. citricarpa, antes ou depois da pulverização dos filmes, apresentaram menor incidência de MPC. Tratamentos com a aplicação apenas da emulsão de carnaúba não diferem dos com filmes preparados com ZnO e TiO2 quanto ao controle da MPC. A adição de óxidos inorgânicos aos filmes de carnaúba limita a atividade fotossintética e reduz a produtividade das plantas, além de prejudicar a qualidade visual das tangerinas.

Palavras-chave


Citrus deliciosa; falsa melanose; mancha dura

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461