Viabilidade de enterobactérias em unidades de armazenamento de dejetos líquidos de suínos

Gian Carlo Seganfredo, Luiza Seemann, Estela de Oliveira Nunes, Claudio Rocha de Miranda, Vanessa Peripolli, Alessandra Farias Millezi

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência do processo de estabilização de dejetos suínos em lagoas de estabilização quanto à presença e à resistência a antibióticos de bactérias patogênicas. O estudo foi realizado em dois ensaios, em dez granjas de suínos localizadas no município de Presidente Castello Branco, no estado de Santa Catarina, Brasil. No primeiro ensaio, investigou-se a eficiência na redução de Escherichia coli (EC), coliformes não E. coli e Salmonella sp., bem como a resistência de isolados a antimicrobianos sob condições de manejo recomendadas. A amostragem foi realizada em três níveis de profundidade e dois tempos. No segundo ensaio, avaliou-se a concentração de coliformes totais e fecais (EC) em condições de manejo a campo, no momento da distribuição do dejeto na lavoura. A profundidade de amostragem não influencia a concentração de EC e Salmonella sp., e as bactérias isoladas são multirresistentes aos antibióticos avaliados. O tempo de retenção hidráulica é determinante na redução dos níveis populacionais dos agentes indicadores. Os resultados obtidos são indicativos de que o manejo dos dejetos suínos deve ser realizado de acordo com as normas sanitárias, para minimizar o risco de propagação e a resistência antimicrobiana de microrganismos patogênicos.


Palavras-chave


Escherichia coli; Salmonella sp.; saúde única; suinocultura.

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461