Eficiência de fontes solúveis e insolúveis de magnésio para nutrição da soja no Cerrado brasileiro

Rafaela Alenbrant Migliavacca, Risely Ferraz-Almeida, Marcos Henrique Feresin Gomes, Eduardo de Almeida, Hudson Wallace Pereira de Carvalho, Rafael Otto

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência de fontes e doses de magnésio solúvel (MnSO4.H2O) e insolúvel (MnCO3) nos processos de absorção, transporte e redistribuição deste nutriente na soja (Glycine max), bem como na produtividade da cultura, em solo de Cerrado. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, em arranjo fatorial 4×2 – quatro doses (150, 250, 350 e 450 g ha-1) × duas fontes (MnSO4.H2O e MnCO3) de Mn –, com quatro repetições. Nas safras de 2015/2016 e 2016/2017, realizaram-se adubações foliares no terceiro trifólio e avaliaram-se os conteúdos de Mn e a produtividade da soja. Em ambas as safras, a fertilização foliar com Mn aumentou os teores do nutriente nas folhas, nos caules e nos grãos, mas não afetou o rendimento de grãos e a produção de matéria seca. Os teores máximos de Mn nas folhas foram obtidos com doses entre 150 e 450 g ha-1. A aplicação de MnSO4.H2O aumentou a absorção, o transporte e a redistribuição de Mn na planta, com desempenho superior ao de MnCO3. A fertilização foliar com MnSO4.H2O em soja, em solo de Cerrado, aumenta os teores de Mn nas folhas, mas não a produtividade e a produção de matéria seca.

Palavras-chave


Glycine max; carbonato de manganês; sulfato de manganês; conteúdo de Mn

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461