Controle de plantas daninhas no melão com herbicidas de pré-emergência

Donato Ribeiro de Carvalho, Hamurábi Anizio Lins, Matheus de Freitas Souza, Tatiane Severo Silva, Maria Alice Formiga Porto, Vander Mendonça, Daniel Valadão Silva

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia e a seletividade de herbicidas aplicados em pré-emergência no cultivo de melão (Cucumis melo). Os experimentos foram conduzidos de 2017 a 2018, no delineamento de blocos ao acaso, com quatro repetições, no estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Os tratamentos consistiram na aplicação pré-emergencial de: 35 g ha-1 i.a. de flumioxazin, 25 g ha-1 i.a. de flumioxazin, 250 g ha-1 i.a. de sulfentrazone, 480 g ha-1 i.a. de metribuzin, 240 g ha-1 i.a. de oxyfluorfen, 240 g ha-1 i.a. de oxyfluorfen + 960 g ha-1 i.a. de S-metolachlor, 360 g ha-1 i.a. de clomazone e 360 g ha-1 i.a. de clomazone + 240 g ha-1 i.a. de oxyfluorfen; em 2018, o metribuzin não apresentou seletividade e foi substituído por 480 g ha-1 i.a. de ametrina and 1.600 g ha-1 i.a. de diuron. Foram avaliados a produtividade e a qualidade dos frutos, bem como o nível de controle e a massa seca das plantas daninhas. Os herbicidas metribuzin, ametrina e diuron causaram a morte das plantas de melão. A melhor eficiência no controle das plantas daninhas foi obtida com a mistura e clomazone + oxyfluorfen, seguida de oxyfluorfen, oxyfluorfen + S-metolachlor e clomazone. Os tratamentos com oxyfluorfen, oxyfluorfen + S-metolachlor e clomazone + oxyfluorfen não foram considerados seletivos. O clomazone foi o único herbicida seletivo nos dois anos de avaliação e pode ser alternativa para o controle de plantas daninhas na cultura do melão.


Palavras-chave


Cucumis melo; eficácia de herbicidas; seletividade de herbicidas; fitotoxicidade

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461