Divergência genética entre populações da traça-do-tomateiro baseada em análises de AFLP

Fábio Akiyoshi Suinaga, Vicente Wagner Dias Casali, Marcelo Picanço, John Foster

Resumo


O objetivo deste trabalho foi determinar a divergência genética entre oito populações de Tuta absoluta (Meyrick) (Lepidoptera: Gelechiidae), provenientes dos Estados do Espírito Santo (Santa Tereza), Goiás (Goianápolis), Minas Gerais (Uberlândia e Viçosa), Pernambuco (Camocim de São Félix), Rio de Janeiro (São João da Barra) e São Paulo (Paulínia e Sumaré), utilizando a técnica do polimorfismo do comprimento de fragmentos amplificados de DNA (AFLP). Foram utilizadas 15 combinações entre primers EcoRI e MseI, a fim de estimar tal diferença. Os dados foram analisados pelo método da média aritmética não ponderada (UPGMA) e dos componentes principais. Utilizando as informações advindas de diversos lócus, as populações de traça-do-tomateiro de Goianápolis, Santa Tereza e Viçosa formaram um grupo ao passo que as populações advindas de Camocim de São Félix, Paulínia, São João da Barra, Sumaré e Uberlândia formaram outro grupo. Tais resultados foram parcialmente coincidentes com resultados referentes à suscetibilidade deste inseto a inseticidas, relatados por outros autores.

Palavras-chave


Lycopersicon esculentum; biometria

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461