Impacto do aumento na temperatura média do ar sobre o desenvolvimento do arroz e do arroz‑vermelho

Isabel Lago, Nereu Augusto Streck, Cleber Maus Alberto, Felipe Brendler Oliveira, Gizelli Moiano de Paula

Resumo


 O objetivo deste trabalho foi avaliar a resposta do desenvolvimento do arroz cultivado e do arroz vermelho a diferentes aumentos nas temperaturas mínima e máxima diárias do ar, em Santa Maria, RS, Brasil. Foram criados cenários climáticos de cem anos de 0, +1, +2, +3, +4 e +5oC, com aumentos simétricos e assimétricos nas temperaturas mínima e máxima diária do ar, usando o Weather Generator LARS-WG e uma base de dados de 1969–2003. Foram usados nove genótipos de arroz cultivado (IRGA 421, IRGA 416, IRGA 417, IRGA 420, BRS 7 TAIM, BR-IRGA 409, EPAGRI 109, um híbrido e EEA 406) e dois biótipos de arroz-vermelho (casca preta aristado e casca amarela aristado). A data da diferenciação da panícula (R1), a antese (R4) e todos os grãos com casca marrom (R9) foram estimados com um modelo não linear. Em geral, a duração da fase emergência–R1 diminuiu, enquanto a duração das fases R1–R4 e R4–R9 aumentaram, com o aumento da temperatura nos cenários de mudança climática. A resposta simulada do desenvolvimento do arroz à elevação da temperatura não foi a mesma, quando o aumento na temperatura mínima e máxima foi simétrico ou assimétrico.

Palavras-chave


<i>Oryza sativa</i>; aquecimento global; fenologia; simulação; planta daninha

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461