Influência da adubação verde na colonização micorrízica e na produção da batata-doce

José Antônio Azevedo Espindola, Dejair Lopes de Almeida, José Guilherme Marinho Guerra, Eliane Maria Ribeiro da Silva, Francisco Adriano de Souza

Resumo


O presente estudo foi conduzido no campo com o objetivo de avaliar a influência do pré-cultivo com leguminosas e vegetação espontânea sobre o potencial de inóculo dos fungos micorrízico-arbusculares (MA) indígenas de um Planossolo e sobre a produção da batata-doce (Ipomoea batatas). Os tratamentos foram: ausência de vegetação, vegetação espontânea, crotalária (Crotalaria juncea), feijão-de-porco (Canavalia ensiformes), guandu (Cajanus cajan) e mucuna-preta (Mucuna aterrima). Feijão-de-porco e mucuna-preta apresentaram maiores quantidades de N, P e K acumulados na parte aérea em relação aos demais pré-cultivos. O pré-cultivo com leguminosas aumentou a produtividade da batata-doce em relação à vegetação espontânea. Houve redução no número de esporos no solo sem vegetação, com feijão-de-porco e com guandu, quando comparado ao solo com vegetação espontânea. O número de propágulos infectivos foi aumentado por crotalária, feijão-de-porco e mucuna-preta em relação ao observado no solo sem vegetação. A colonização das raízes de batata-doce pelos fungos MA indígenas foi aumentada por crotalária, mucuna-preta e vegetação espontânea, quando comparada à ausência de vegetação. A produtividade da batata-doce correlacionou-se positivamente com a quantidade de N, P e K acumulada na massa dos adubos verdes.


Palavras-chave


fungos micorrízicos; Ipomoea batatas; leguminosas; Canavalia ensiformes; Cajanus cajan; Crotalaria juncea; Mucuna aterrima

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461