Interação entre microrganismos do solo, feijoeiro e milho em monocultura ou consórcio

Mariangela Hungria, Diva de S. Andrade, Arnaldo Colozzi-Filho, Élcio Liborio Balota

Resumo


Os sistemas de cultivo afetam a microbiota do solo e, neste estudo, procurou-se investigar algumas interações entre microrganismos de importância agrícola e o feijoeiro (Phaseolus vulgaris) e milho (Zea mays) em monocultura ou consórcio. Em condições controladas, tanto os exsudatos de feijão como os de milho estimularam a sobrevivência, o crescimento e a indução do genes nod de Rhizobium, a nodulação e o acúmulo de N no feijoeiro e a sobrevivência de Azospirillum lipoferum. Em um solo cultivado por dois anos com feijoeiro e milho em monocultura e consórcio, a população de Azospirillum spp. foi elevada e não diferiu entre os tratamentos, enquanto a população de Rhizobium tropici, os oxidantes do nitrito e a biomassa microbiana foram favorecidas pela presença do feijoeiro em consórcio ou monocultura. A espécie Rhizobium etli representou cerca de 15% da população rizobiana, exceto na monocultura de milho, em que esteve ausente e na qual predominou Rhizobium spp., capaz de nodular somente leucena (Leucaena leucocephala). Extratos de solo sob consórcio apresentaram teores mais elevados de compostos fenólicos indutores dos genes nod de Rhizobium. Os tratamentos não afetaram o número de esporos de fungos micorrízico-arbusculares, embora o feijoeiro em monocultura tenha proporcionado maior diversidade de espécies fúngicas.

Palavras-chave


Azospirillum; bactérias diazotróficas; biomassa microbiana; fixação biológica do nitrogênio; fungos micorrízicos; microrganismos amonificadores; microrganismos oxidantes do nitrito; Phaseolus vulgaris; Rhizobium; Zea mays

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461