Indução de mutação na cultivar de soja IAC-8 visando à obtenção de precocidade

Augusto Tulmann Neto, Tereza Peixoto, Marcelo Correa Alves, João Carlos V. Oliveira, José Otavio M. Menten, Manoel Athayde

Resumo


Através da indução de mutações pelo tratamento de sementes com 0,05 M de metanossulfonato de etila (EMS), objetivou-se a obtenção de mutantes precoces na cultivar IAC-8 de soja (Glycine max (L.) Merrill), de maneira que se mantivessem inalteradas suas outras características agronômicas. Foram selecionadas, na geração M2, dez plantas com menor número de dias de florescimento que o controle IAC-8. Através de seleções posteriores e avanço de gerações, foram selecionados cinco mutantes mais precoces que foram ensaiados no campo em quatro experimentos em 85/86 (Piracicaba) e 86/87 (Piracicaba, Sertãozinho e Assis). Nestes ensaios, foram anotados o número de dias para florescimento e maturação, a produção, a altura das plantas e a inserção da vagem, e observadas a cor da flor, vagem, pubescência, sementes, e hábito de crescimento. Os resultados indicaram que, dentre os mutantes, dois (mutantes 2 e 9) apresentaram maior interesse, por serem, na média dos quatro experimentos, de sete a dez dias mais precoces na maturação do que a cultivar original, mantendo, com exceção da altura das plantas, que foi menor, as demais características agronômicas originais.

Palavras-chave


sementes; florescimento; maturação; EMS; <i>Glycine max</i>

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461