Seleção de microrganismos antagônicos aos fitopatógenos

John H. Andrews

Resumo


Em geral, existem duas opções para a seleção de agentes de controle biológico de fitopatógenos. Na primeira opção, os organismos podem ser testados como antagônicos em condições controladas (no laboratório e/ou câmara de crescimento ou em casa de vegetação). A seguir, os isolados mais promissores são testados em condições de campo para uma avaliação final. Este método oferece conveniência, eficiência, padronização e reprodutibilidade das condições de testes, e a oportunidade de examinar diretamente as interações patógeno/antagonista. No entanto, testes sob condições controladas podem falhar na detecção de antagonistas, ou podem ser fracos indicadores da atividade do controle biológico em condições de campo. Na segunda opção, a atividade dos microrganismos pode ser testada em condições não controladas, diretamente no campo, sem testes preliminares. Este método ofe-rece avaliação rigorosa e realista do potencial do controle biológico. Entretanto, ele apresenta várias dificuldades logísticas, mesmo quando microparcelas são usadas, não deve ser representativo de atividade em outros locais e épocas, e não oferece indicações sobre os mecanismos fundamentais. Ambos os métodos têm vantagens e desvantagens, e a escolha de cada um envolve compromissos. Qualquer seleção deve ser específica para cada caso, e deve ser válida somente para aquelas condições impostas pelo protocolo. Que estratégia proverá, em última análise, para uma ótima avaliação, oferecendo as melhores condições de previsibilidade por unidade de custo investido em tempo e material, ainda está por ser determinado.


Palavras-chave


controle biológico; doenças de plantas; antagonistas; antagonismo; controle de doenças

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461