Seleção de progenitores de cacaueiro quanto à resistência à vassoura-de-bruxa

Stela Dalva Vieira Midlej Silva, Edna Dora Martins Newman Luz, José Luis Pires, Milton Macoto Yamada, Lindolfo Pereira dos Santos Filho

Resumo


O objetivo deste trabalho foi identificar genótipos com alta capacidade geral de combinação quanto à resistência à vassoura-de-bruxa (Moniliophthora perniciosa), em populações formadas a partir do primeiro ciclo de seleção recorrente. Clones altamente produtivos e resistentes à vassoura-de-bruxa, de diferentes procedências, foram intercruzados com uso do delineamento Carolina do Norte II. Como progenitores paternos, foram utilizados os clones SCA 6, CSUL 7, RB 39, CEPEC 89, OC 67, BE 4, EEG 29 e ICS 98 e, como maternos, NA 33, CCN 10, IMC 67, P 4B, CCN 51, CEPEC 86, SGU 54 e ICS 9. Vinte dias após a germinação, 56 plântulas de cada cruzamento (quatro repetições de 14 plântulas) receberam inoculação de 1 mL de suspensão com 7,5x 104 basidiósporos mL-1. Os sintomas foram avaliados 60 dias após a inoculação. Foram observadas diferenças significativas, entre os progenitores paternais e entre os progenitores maternais, quanto à resistência à vassoura-de-bruxa avaliada pela proporção de plântulas das progênies com sintomas da doença. Diferenças também foram observadas entre grupos de progenitores paternais ou maternais previamente definidos como resistentes, e grupos previamente definidos como suscetíveis. É possível obter, diretamente de primeiros ciclos de seleção recorrente, uma combinação de genes que possa aumentar a resistência à vassoura-de-bruxa.


Palavras-chave


Moniliophthora perniciosa; Theobroma cacao; manejo integrado da doença; seleção precoce; resistência genética

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461