Influência de inibidores de giberelinas aplicados no florescimento de abacateiros 'Hass' não irrigados

Bruna do Amaral Brogio, Simone Rodrigues da Silva, Tatiana Cantuarias-Avilés, Sérgio Figueiredo Angolini, Edypol Guilherme Baptista, Rafael Vasconcelos Ribeiro

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes inibidores da biossíntese de giberelinas no crescimento dos brotos acima da panícula, bem como na produção, no tamanho e no formato de frutos de abacateiro (Persea americana) 'Hass' não irrigado. O experimento foi conduzido em delineamento de blocos ao acaso, com cinco tratamentos, quatro repetições e 40 árvores. De 2013 a 2015, foram aplicados os seguintes tratamentos, no florescimento, via pulverização foliar: água (testemunha), 250 mg L-1 de prohexadione-cálcio, 2.500 mg L-1 de trinexapaque-etílico, 1.750 mg L-1 de paclobutrazol e 350 mg L-1 de uniconazole; os dois primeiros são acilciclohexanodionas e os dois segundos triazóis. A produção de frutos, a eficiência produtiva e a alternância produtiva não foram afetadas pela aplicação dos fitorreguladores. Entretanto, os inibidores de giberelinas proporcionaram frutos de maior tamanho e modificaram o formato de abacates 'Hass' não irrigados. O uniconazole reduz o crescimento dos brotos acima da panícula, e esse efeito pode variar de acordo com as condições ambientais, especialmente com a disponibilidade de água.


Palavras-chave


Persea americana; acilciclohexanodionas; produção; triazóis

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461