Atributos químicos de Latossolo após sucessivas aplicações de composto orgânico de dejeto líquido de suínos

Cledimar Rogério Lourenzi, Eloi Erhard Scherer, Carlos Alberto Ceretta, Tadeu Luis Tiecher, Adriana Cancian, Paulo Ademar Avelar Ferreira, Gustavo Brunetto

Resumo


O objetivo deste trabalho foi determinar as alterações em atributos químicos de um Latossolo Vermelho após aplicações sucessivas de composto orgânico de dejeto líquido de suínos com maravalha, em sistema plantio direto. O experimento foi conduzido em Chapecó, SC, em Latossolo Vermelho, de setembro de 2005 a agosto de 2011. Foram aplicadas anualmente as doses de 0, 2, 4, 8 e 16 Mg ha-1 de composto de dejeto líquido de suínos com maravalha, além de um tratamento com adubação mineral (NPK). Após seis aplicações, coletaram-se amostras de solo nas camadas de 0–4, 4–8, 8–12, 12–16, 16–20, 20–40 e 40–60 cm e avaliaram-se os atributos químicos. As maiores doses do composto orgânico incrementaram o pH do solo e reduziram a acidez potencial. As aplicações de composto orgânico derivado de dejeto de suínos e maravalha promoveram alterações nos atributos químicos do Latossolo Vermelho avaliado, especialmente nas camadas superficiais do solo, com maior ênfase para aumento do pH do solo e dos teores de P, K, Cu e Zn. A utilização de 4 Mg ha-1 do composto mantém os atributos químicos do solo semelhantes aos do tratamento NPK, que seguiu recomendação oficial para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, além de manter os teores de P nas camadas superficiais dentro do limite crítico ambiental para solos com altos teores de argila.


Palavras-chave


acidez do solo; acúmulo de nutrientes; fertilizante orgânico; resíduos orgânicos

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461