Ciclagem de carbono e nitrogênio em sistema integrado de produção de soja e bovinos de corte sob diferentes intensidades de pastejo

Joice Mari Assmann, Ibanor Anghinoni, Amanda Posselt Martins, Sérgio Ely Valadão Gigante de Andrade Costa, Taise Robinson Kunrath, Cimélio Bayer, Paulo Cesar de Faccio Carvalho, Alan Joseph Franzluebbers

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da intensidade de pastejo na decomposição dos resíduos da pastagem utilizada como cultura de cobertura, do esterco e da soja, bem como a liberação de C e N desses resíduos, em um sistema integrado de produção de soja e bovinos de corte, em plantio direto e em longo‑prazo. O experimento foi iniciado em 2001, com soja cultivada no verão e aveia‑preta + azevém no inverno. Os tratamentos consistiram de quatro alturas de pasto (10, 20, 30 e 40 cm), além de uma área sem pastejo, como controle. Em 2009–2011, resíduos da pastagem, do esterco, e do caule e das folhas de soja foram alocados em sacos de decomposição feitos com malha de nylon e decompostos até 258 dias. Com o aumento da intensidade de pastejo, a matéria seca residual da pastagem diminuiu e a do esterco aumentou. A concentração de lignina e as taxas de liberação de C da pastagem e do esterco foram menores com a intensidade de pastejo moderada. A liberação de C e N do resíduo de soja não é afetada pela intensidade de pastejo. A intensidade moderada de pastejo produz resíduos de maior qualidade, tanto para a pastagem quanto para o esterco. Já a quantidade total de C e N liberada é influenciada pela maior quantidade de matéria seca residual produzida quando a pastagem foi submetida ao pastejo leve ou não foi pastejada.

Palavras-chave


Avena strigosa; Glycine max; Lolium multiflorum; integração lavoura-pecuária; ciclagem de nutrientes; matéria orgânica do solo

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461