Espaçamento, densidade de semeadura e controle de ervas daninhas na resposta de arroz irrigado ao nitrogênio

Marco António Rezende Alvarenga, António Renes Lins de Aquino, Luis Fernando Stone, Goes Matsutaro Ajimura, Austrelino Silveira Filho

Resumo


Foram conduzidos dois experimentos visando a determinar a influência de espaçamento, densidade de semeadura e controle de ervas daninhas na resposta de cultivares de arroz irrigado ao nitrogênio. No primeiro experimento, foram estudados quatro níveis de nitrogênio (0, 40, 80 e 120 kg/ha de N, três densidades de semeadura (300, 400 e 500 sementes/m2), dois espaçamentos entre linhas (20 e 40 cm) e semeadura a lanço e, duas cultivares ('IAC 435' e 'IR 841-63-5-L-9-33'). No segundo, foram estudados três níveis de nitrogênio (0, 60 e 120 kg/ha de N),três métodos de controle de ervas daninhas (oxadiazon, propanil e capina), comparados com uma testemunha sem capina, dois espaçamentos entre linhas e duas cultivares. Os espaçamentos e as cultivares foram os mesmos do primeiro experimento. A densidade de semeadura de 300 sementes/m2 pode ser considerada a melhor, pois os rendimentos desta densidade não diferiram dos obtidos com maior número de sementes/m2 . A semeadura em linhas propiciou maiores rendimentos do que a lanço não tendo havido diferença entre os espaçamentos de 20 e 40 cm. Os níveis de nitrogênio que propiciaram o máximo rendimento situaram-se em torno de 65 kg/ha de N para a cultivar ‘IAC 435' e 85 kg/ha de N para a 'IR 841-63-5-L-9-33'. Os herbicidas testados possibilitaram um adequado controle das ervas daninhas.

Palavras-chave


arroz irrigado; nitrogênio; ervas daninhas; herbicidas; espaçamento entre linhas; densidade de semeadura

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461