Capim-elefante anão sob pastejo I.Produção de forragem

Jonas Bastos da Veiga, Geraldo Oakley Mott, Luis Roberto de Andrade Rodrigues, William Robert Ocumpaugh

Resumo


Estudou-se, em 1982, na Universidade da Flórida, Gainesville, Flórida, E.U.A., o manejo do capim-elefante anão (Pennisetum purpureum Schum.) num ensaio de pastejo. Pressão de pastejo (PP) e ciclo de pastem (CP) foram aplicados em cinco níveis: PP-500. 1.000. 1.500, 2.000 e 2.500kg de MS de folha residual há-1 após o pastejo e CP-0 pastejo contínuo por 14, 28, 42 e 56 dias. Cada ciclo de pastejo incluiu dois dias de pastejo e um período de descanso específico para cada nível. Usou-se o desenho experimental composto central, não-rotável, com treze combinações em duas repetições. O modelo matemático foi o polinômio completo do segundo grau. As quantidades disponíveis de MS folias e total do capim, a biomassa total, assim como as taxas de crescimento foliar e total do capim e a relação folha/colmo foram afetadas pela PP e CP. Considerando apenas a produção de MS, recomendam- se para o pastejo do capim-elefante anão PPs baixas (2.000 a 2.500kg de MS de folha residual por hectare) e CPs longos (42 a 56 dias).


Palavras-chave


pennisetum purpureum; pressão de pastejo; ciclo de pastejo; disponibilidade de matéria seca; taxa de crescimento e relação folha/colmo

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461