Intervalo entre partos de vacas canchim

Mauricio Mello de Alencar, Edgar Arquimedes Beolchi, José Ladeira da Costa, Paulo Gastão da Cunha

Resumo


Foram estudados 1.095 intervalos entre partos de 224 vacas 5/8 Charolês – 3/8 Zebu e 318 intervalos de 170 vacas Canchim. O mês de início do intervalo influenciou significativamente (P<0,01) os intervalos de ambos os grupos genéticos, enquanto que o ano do início do intervalo (P<0,01) e a ordem do intervalo (P<0,05) somente influenciaram o intervalo entre partos do grupo genético 5/8 Charolês – 3/8 Zebu. Os intervalos foram, em geral, mais curtos quando o primeiro parto do intervalo ocorreu de abril a outubro. O primeiro intervalo foi mais longo, havendo uma tendência de encurtamento até o último intervalo estudado. O sexo do bezerro e a idade ao primeiro parto não tiveram influência significativa sobre os intervalos entre partos. As médias dos intervalos entre partos foram de 405,2 dias para as vacas Canchim e 407 dias para as vacas 5/8 Charolês - 3/8 Zebu. Estimativas de herdabilidade de, na mesma ordem, 0,045 ± 0,100 e 0,041 ± 0,142 sugerem pouco campo para reduzir o Intervalo entre-partos pela seleção. Estimativas de repetibilidade de 0,171 ± 0,080 para as vacas Canchim e 0,203 ± 0,031 para as vacas 5/8 Charolês – 3/8 Zebu indicam, contudo, que existe algum efeito permanente, hereditário ou de ambiente, responsável por diferenças permanentes entre vacas.


Palavras-chave


fontes de variação; herdabilidade; repetibilidade; vacas mestiças Charolês-Zebu

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461