Variáveis relacionadas com a tolerância de gramíneas forrageiras ao déficit hídrico

Regina C.R. Machado, Hermínia M.F. Souza, Miguel A. Moreno, Paulo de T. Alvim

Resumo


Avaliou-se, sob condições de campo, a tolerância ao déficit hídrico de quatro gramíneas forrageiras. Determinaram-se o potencial hídrico da folha, a resistência estomática, a altura dos perfilhos e o comprimento do limbo foliar do capim-carimagua (Andropogon gayanus), capim-bufel (Cenchrus ciliaris) cvs. Gayndah e Biloela, e quicuio-da-amazônia (Brachiaria humidicola). Os capins carimagua, 'Gayndah' e 'Biloela' sob regime seco, não atingiram um valor crítico de potencial hídrico da folha para o fechamento estomático. O capim quicuio-da-amazônia atingiu mais baixo potencial hídrico da folha (-21 bares) e mais alta resistência estomática (20 seg.cm-1) em relação aos demais capins estudados neste trabalho. Com relação a altura do perfilho e comprimento do limbo foliar, os capins carimagua, 'Gayndah' e 'Biloela' também se comportaram como mais tolerantes ao déficit hídrico. Dessa forma, os capins carimagua, 'Gayndah' e 'Biloela' são opções mais seguras para as áreas onde ocorrem estiagens de mais de 120 dias.


Palavras-chave


potencial hídrico; resistência estomática; Andropogon gayanus; Cenchrus ciliaris; Brachiaria humidicola; quicuio-da-amazônia

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461