Efeito do estresse da desfolha artificial sobre a rebrota e algumas características bioquímicas dos nódulos de copada

Antonio Alvaro Corcete Purcino, Julian Quentin Lynd

Resumo


Determinou-se o efeito do estresse da desfolha na capacidade de rebrota, na nodulação, na atividade da nitrogenase e em alguns parâmetros do citosol no nódulo de Cratylia floribunda Mart ex-Benth. As plantas cortadas entre 5 e 7 cm do solo, a intervalos de 14 dias, mostraram boa capacidade de rebrota, produzindo mais matéria seca que aquelas não cortadas. Nas plantas que foram desfolhadas, o número de caules aumentou de 11,0 para 19,5, e a fração foliar, de 48,6% para 54.2%, enquanto naquelas não desfolhadas, a fração foliar decaiu de 55,4% para 29,4%, e a proteína no caule diminuiu de 8,2% para 6,2%. A percentagem de proteína nas folhas não foi influenciada pelo tratamento de desfolha nem pela idade das plantas entre os 70 e 154 dias após a germinação (DAG). Plantas que receberam quatro desfolhas (126 DAG) tinham um maior número de nódulos maduros e imaturos e maior peso de nódulos imaturos que as da mesma idade que não tinham sido desfolhadas. Nas plantas não desfolhadas, a percentagem de nodulação caiu de 21,8 para 14,4, e a atividade da nitrogenase, de 46,5 para 32,5 μmoles C2H4g-1 de nódulos frescos h-1 entre os 70 e 154 DAG; Nos nódulos maduros de plantas sem desfolha, a atividade da transaminase do aspartato (AST) α-Ketoglutarate e a quantidade de αKG aumentaram até os 126 DAG, e a atividade da transaminase da alanina (ALT) e da desidrogenase do glutamato (CDH) não foram influenciadas nem pelos tratamentos de desfolha nem pela idade das plantas.


Palavras-chave


transaminase de aspartato (AST); transaminase de alanina (ALT); desidrogenase do glutamato (GDH); Cratylia floribunda; fixação simbiótica de nitrogênio; ureídeo

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461