Germinação do pólen de algodão in vitro. III. Efeito do ácido giberélico

Francisco Célio Guedes Almeida, José Fortunato da Silva, José Ferreira Alves, Fanuel Pereira da Silva, Francisco Aécio Guedes Almeida

Resumo


Estudou-se, in vitro, o efeito do ácido giberélico no processo germinativo do pólen de algodão, Gossypiuni hirsuru,n L., usando-se cinco concentrações (0, 25, 50, 100 e 200 ppm), em um meio básico contendo, em solução aquosa, 1% de ágar, 15% de sacarose, 0,09% sulfato de manganês, 0,03% de ácido bórico, 0,06% de nitrato de cálcio, e um pH ajustado para 7. Até o nível de 50 ppm, o ácido giberélico não apresenta nenhum efeito na germinação do pólen. Ao nível de 100 ppm foi observado uma significante redução na germinação. Na ausência deste hormônio vegetal, o comprimento médio do tubo polínico foi de 692,2 m.


Palavras-chave


Gossypium hirsutum; ágar; sacarose; solução nutritiva; hormônio vegetal; ácido giberélico.

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461