Efeitos de Rhizobium, molibdênio e cobalto sobre o feijoeiro comum cv. carioca

João Roberto Viana Corrêa, Arnoldo Junqueira Netto, Pedro Milanez de Rezende, Luis Antônio de Bastos Andrade

Resumo


Com o objetivo de verificar os efeitos de Rhizobium phaseoli, molibdênio (Mo) e cobalto (Co) sobre o rendimento de algumas características do feijoeiro comum (Phaseolus vilgaris L.) cv. Carioca, bem como estabelecer doses ótimas para os micronutrientes testados, foi conduzido, na Escola Superior de Agricultura de Lavras, em Lavras, MG, um experimento em casa de vegetação, em solo de cerrado, classificado como Latossolo Vermelho-Escuro Distrófico, textura argilosa. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados em esquema fatorial 42 x 2, com três repetições. Os tratamentos foram formados pela combinação de quatro níveis de Mo (0, 7, 14 e 21 g/ha) e Co (0, 0,3, 0,6, e 0,9 g/ha) aplicados na forma de solução via sementes, na presença e ausência de inoculante. As aplicações do inoculante e Mo exerceram influências benéficas em todas as características avaliadas. A maior produção de grãos por planta foi alcançada quando se aplicaram 14 e 0,6 g/ha de Mo e Co, respectivamente. A aplicação isolada do cobalto não influenciou o número de vagens por planta e grãos por vagem de feijoeiro


Palavras-chave


inoculação; Rhizobium; micronutrientes; Phaseolus vulgaris

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461