Armazenamento e conservação de manjericão após diferentes épocas e horários de colheita

Franceli da Silva, Ricardo Henrique Silva Santos, Nélio José de Andrada, Luiz Cláudio Almeida Barbosa, Vicente Wagner Dias Casali, Renato Ribeiro de Lima, Ricardo Vaz de Melo Passarinho

Resumo


O manjericão (Ocimum basilicum L.) é empregado tanto na indústria culinária quanto fitoterápica e na medicina tradicional, devido ao teor e composição de seu óleo essencial. No entanto, o manjericão não pode ser conservado por longo período após a colheita e sua qualidade pode ser prejudicada. O objetivo deste trabalho foi verificar a influência da época e do horário de colheita sobre a conservação de manjericão armazenado por diferentes períodos. O manjericão foi colhido às 8h e às 16h em agosto/1999 e em janeiro/2000. Os ramos foram acondicionados em filmes de PVC e armazenados por 3, 6 e 9 dias. Durante o armazenamento, o teor de clorofila, e o teor e a composição do óleo essencial foram determinados e foram conduzidas análises microbiológicas. A época de colheita e os dias de armazenamento influenciaram o teor final de óleo essencial. Houve decréscimo linear dos teores de óleo essencial e de clorofila e do número de colônias de fungos e bactérias ao longo do armazenamento. Não houve efeito da época de colheita ou do horário de colheita sobre a composição do óleo essencial, mas os teores de eugenol e linalol aumentaram durante o armazenamento. O número de coliformes ficou abaixo de 0,3 NMP g-1 e o número de Staphylococcus aureus, abaixo de 1,0x102 UFC g-1.

Palavras-chave


Ocimum basilicum; eugenol; linalol; clorofila; fungos; bactérias

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461