Análise dialélica da resistência à mancha olho-de-rã em soja

Geraldo de Amaral Gravina, Carlos Sigueyuki Sediyama, Sebastião Martins Filho, Maurílio Alves Moreira, Everaldo Gonçalves de Barros

Resumo


Sete cultivares de soja (Bossier, Cristalina, Davis, Kent, Lincoln, Paraná e Uberaba) com diferentes níveis de resistência à Cercospora sojina foram cruzadas de modo dialélico para avaliar as capacidades geral (CGC) e específica (CEC) de combinação quanto à herança da resistência. A raça 04 do fungo foi inoculada nos progenitores e nos híbridos F1, em casa de vegetação, num delineamento inteiramente casualizado, com 12 repetições. As avaliações da reação à doença foram feitas 20 dias após a inoculação, sempre no folíolo mais infectado. Ambas, CGC e CEC, foram significativas quanto a todos os caracteres avaliados, inferindo-se que, para a expressão dos caracteres, as ações gênicas aditivas, dominantes e, possivelmente, interações epistáticas foram importantes. Os maiores valores dos efeitos da CEC estimados foram observados nas combinações híbridas dos cruzamentos em que pelo menos um progenitor apresentou alta CGC. As cultivares Cristalina, Davis e Uberaba apresentaram as maiores estimativas do efeito de CGC () e, pela análise de , a contribuição desses genitores para a heterose de seus híbridos será no sentido de redução dos sintomas da doença. Portanto, essas cultivares são indicadas como genitores em programas de melhoramento que visem à obtenção de cultivares de soja com resistência à mancha olho-de-rã.

Palavras-chave


Glycine max; Cercospora sojina; capacidade combinatória; heterose; resistência genética; parâmetro genético

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461