Secagem de sementes de soja em silo com distribuição radial do fluxo de ar. II. Efeitos sobre a qualidade das sementes

Luiz Carlos Miranda, Walter Rodrigues da Silva, Cláudio Cavariani

Resumo


O trabalho avaliou, em sementes de soja, as conseqüências qualitativas provenientes da secagem estacionária com distribuição radial de ar, variando o fluxo (26,9, 28,4 e 33,2 m3/minuto/t) e a temperatura do ar insuflado (42, 46 e 50oC), considerando a posição das sementes na massa (17, 34 e 51 cm em relação ao cilindro de insuflação) e o tempo de secagem (0 a 12 horas, com intervalos de quatro horas). Para tanto, além das determinações das temperaturas e dos teores de água da massa, foi avaliado o desempenho fisiológico das sementes no início e ao final de seis meses de armazenamento. Apesar das vantagens físicas operacionais resultantes da combinação entre o fluxo e a temperatura intermediários (28,4 m3/minuto/t e 46oC), a qualidade fisiológica foi menos prejudicada nas combinações dos menores fluxos (26,9 e 28,4 m3/minuto/t) com a maior temperatura (50oC) e do maior fluxo (33,2 m3/minuto/t) com as menores temperaturas (42 e 46oC); entre estas, levando em conta os aspectos físico-operacionais, a associação de 28,4 m3/minuto/t com 50oC foi a mais eficiente na retirada de água das sementes. Assim, admitindo os intervalos de fluxo (26,9 a 33,2 m3/minuto/t) e de temperatura (42 a 50oC) estudados, conclui-se que a elevação na temperatura demanda redução no fluxo e, inversamente, o aumento no fluxo demanda redução na temperatura.


Palavras-chave


processamento; qualidade fisiológica

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461