Aditivos na ensilagem do capim-elefante. III. Valor nutritivo e consumo voluntário e digestibilidade aparente em ovinos

João Batista de Andrade, Wagner Lavezzo

Resumo


Foi avaliado o consumo, a digestibilidade aparente e o valor nutritivo de silagens de capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum.) confeccionadas com adição de 0, 8, 16 e 24% de matéria seca de rolão de milho, farelo de trigo e sacharina na forragem verde do capim. O delineamento utilizado foi de blocos casualizados com três repetições, em esquema fatorial 3 (aditivos) x 4 (níveis). Foram utilizadas como silos experimentais barricas de plástico de 200 litros. O teste de consumo e digestibilidade foi efetuado com ovinos machos castrados, com peso ao redor de 50 kg. Os animais foram abrigados em baias individuais, com água e sal mineral à vontade. Houve um período de dez dias para adaptação dos animais às condições experimentais. O consumo voluntário das silagens foi determinado pela média dos três últimos dias de um período de dez. O período de coleta se desenvolveu por sete dias. Nesse período, os animais foram alimentados com 80% do consumo voluntário. A ingestão de matéria seca aumentou à medida que foi elevado o nível dos aditivos na ensilagem. Houve redução na digestibilidade dos componentes da parede celular com o aumento da participação dos aditivos na ensilagem. As silagens preparadas com farelo de trigo ou rolão de milho mostraram maior valor nutritivo.


Palavras-chave


Pennisetum purpureum; coeficiente de digestibilidade; nutrição de ovinos

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461