Atividade da redutase no nitrato em plantas de Pueraria lobata crescidas no campo, no sudeste do Brasil

Adaucto Bellarmino de Pereira-Netto, Antonio Celso Novaes de Magalhães, Hilton Silveira Pinto

Resumo


Embora Pueraria lobata (Willd.) Ohwi (P. thunbergiana) (Sieb. & Zucc.) Benth.) seja ecológica e economicamente importante em vários países, sua fisioecologia e outros fatores que contribuem para seu hábito invasivo não são bem conhecidos. Estimativas da atividade da redutase do nitrato (NRA) têm sido empregadas como indicativo do efeito de alterações no ambiente sobre a capacidade das plantas de assimilar nitrato. O objetivo deste trabalho foi o de descrever como alterações naturais na temperatura do ar (Ta) e na densidade de fluxo de radiação solar (St) afetam NRA in vivoem P. lobata crescida no campo, e, conseqüentemente, sua capacidade de assimilar nitrogênio na forma de nitrato em áreas não-nativas. Utilizou-se um termômetro meteorológico para medir as alterações da temperatura do ar, e um piranômetro à base de termopares, para medir a densidade do fluxo da radiação solar. O mais alto valor para NRA [5,8 mmol NO2 h-1(g FW)-1] foi observado quando a Ta era 27,4oC. Redução significativa em NRA foi observada quando a Ta se encontrava abaixo de 21,8oC ou acima de 33,6oC. Elevação em St foi acompanhada por elevação proporcional em NRA. Aumento de 12% em NRA foi observado quando St aumentou de 531 para 852 W m-2. Estes resultados sugerem que P. lobata pode ser um competidor efetivo em regiões localizadas na transição entre os biomas tropical e subtropical.


Palavras-chave


cultura de cobertura; ecofisiologia; forragem; Leguminosae; assimilação de nitrato

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461