Épocas de plantio de milho em função das deficiências hídricas no solo em Cambará-PR

José Tadeu Garcia Tommaselli, Nilson Augusto Villa Nova

Resumo


O presente estudo teve como objetivo avaliar, a partir de um modelo climático de previsão das deficiências hídricas, o efeito quantitativo destas deficiências sobre a queda da produção e determinação das melhores épocas de plantio numa cultura de milho (Zea mays L.). Este modelo foi aplicado em Cambará (lat. 23°00' S, long. 50°02' WGr, altitude 450 m), Paraná. O modelo fornece uma estimativa da perda de produção, em relação à potencial, em função das datas de plantio, que condicionam as épocas de floração e enchimento dos grãos, períodos altamente críticos em relação às deficiências hídricas. As estimativas foram feitas a partir dos valores de deficiência hídrica esperada, a 80% de probabilidade, e da somatória dos graus-dias acumulados, utilizando-se diferentes dados climáticos. Os resultados revelaram que o período correspondente aos primeiros dez dias de novembro representa a melhor época para o plantio de milho sob regime de sequeiro ou com irrigação suplementar. Nestas condições, agosto representou a pior época. As estimativas de necessidades totais de irrigação suplementar atingiram valores de 126 e 226 mm, respectivamente, no tocante ao milho plantado nos dez primeiros dias de novembro e de agosto.


Palavras-chave


<i>zea mays</i>; modelo climático; balanço hídrico; produção; evapotranspiração

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461