Armazenamento e tratamento de sementes de pitanga-vermelha-do-cerrado (Eugenia calycina)

Joachim F. W. Von Bulow, Ricardo Carmona, Tereza Vaz Parente

Resumo


Realizaram-se ensaios para testar a longevidade de sementes de E. calycina após a colheita, o efeito de tratamentos fitossanitários e ambientes de armazenamento, na qualidade fisiológica e na incidência de fungos nas sementes. A emissão de radículas e caulículos iniciou-se aos 10 e aos 16 dias após semeadura, respectivamente, extendendo-se por um período de 8-20 dias. Sementes recém-colhidas apresentaram por volta de 97% de germinação, sendo a viabilidade reduzida rapidamente quando as sementes eram armazenadas em laboratório. A velocidade de germinação também diminuiu com o armazenamento. Concluiu-se que esta espécie apresenta sementes recalcitrantes e portanto a semeadura deve ser feita o mais rápido possível após colheita. Em caso de armazenamento, as sementes devem ser mantidas dentro dos frutos ou dentro de embalagens herméticas, à temperatura por volta de 10°C para evitar dessecação. Desta forma, obteve-se aproximadamente 50% de viabilidade após 28 dias de armazenamento, ao passo que em sacos de papel, as sementes perderam completamente a viabilidade aos 21 dias. O tratamento de sementes com Thiram ou Thiabendazole reduziu a incidência de fungos saprofíticos, mas não afetou a germinação final das sementes. Hipoclorito de sódio não teve efeito na incidência de fungos e na germinação de sementes. Sementes menores e brocadas apresentaram germinação inferior, o que indica a necessidade de seleção antes da semeadura.


Palavras-chave


armazenamento; germinação; sementes; tratamento de sementes

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461