Aplicação da termometria ao infravermelho à irrigação do feijoeiro: crescimento e produtividade

Gustavo Adolfo Pazzetti, Marco Antonio Oliva, Nei Fernandes Lopes

Resumo


Plantas de feijoeiro (Phaseolus vulgarls L.) cultivadas em condições de campo foram submetidas a quatro regimes de irrigação, com o propósito de estabelecer uma relação entre as variações da temperatura da copa medida com termômetro a infravermelho com a produtividade da cultura, visando introduzir a termometria ao infravermelho no monitoramento da irrigação. Os efeitos dos diferentes regimes de irrigação foram avaliados mediante as variações do acúmulo de matéria seca, índice de área foliar, taxa de acúmulo de matéria seca e variação nos componentes da produção e a produtividade. Os menores valores referentes aos parâmetros de crescimento corresponderam às plantas mantidas em menor freqüência de irrigação, que apresentaram, entre turnos de rega, os maiores valores de temperatura de copa. Os decréscimos nos componentes da produção e produtividade também foram maiores nas plantas sob estresse mais acentuado. Os resultados indicaram que a temperatura da copa mostrou um relacionamento estreito com os componentes da produção e a produtividade, bem como a evolução do estresse hídrico. Isto poderá permitir um melhor aproveitamento da termometria ao infravermelho no controle da irrigação.

Palavras-chave


<i>Phaseolus vulgaris</i>; variações de temperatura; monitoramento da irrigação; matéria seca; área foliar; temperatura da copa

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461