Absorção e resistência ao movimento da água no cacaueiro

Solange Maria Costa de Amorim, Raul rné Valle

Resumo


Estudou-se o efeito da temperatura radicular na resistência ao movimento de água, em plântulas de cacau (Theobroma cacao L.), cv. Catongo em casa de vegetação e a temperaturas radiculares de 10°, 20°, 30° e 40°C. Folhas das posições, basais, intermediárias e apicais, com idades semelhantes, foram cobertas com papel laminado e recobertas com sacos de polietileno preto. Medições de potencial hídrico e seus componentes, transpiração, fotossíntese, temperatura das folhas e condutância estomática foram feitas por psicrometria, nas folhas descobertas adjacentes às folhas cobertas. Os resultados sugerem que a resistência ao fluxo da água no cacaueiro é independente da posição foliar no caule e relaciona-se diretamente com o fluxo da transpiração e com a variação dos gradientes de potencial hídrico, que é determinado por temperaturas radiculares superiores a 30°C. As trocas gasosas, nas diferentes temperaturas do solo, relacionaram-se com o potencial de água da planta.


Palavras-chave


<i>Theobroma cacao</i>; cacau; temperatura radicular

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461