Avaliação de "top crosses" quanto ao seu possível uso em programas de melhoramento do milho

Elto Eugenio Gomes e Gama, Ricardo Magnavaca, Sidney Netto Parentoni, Cleso Antônio Patto Pacheco, Paulo Evaristo de Oliveira Guimarães, Antonio Carlos de Oliveira

Resumo


Foram avaliados 75 cruzamentos num dialélico parcial 15 (híbridos simples, conjunto 1) x 5 (populações, conjunto 2) juntamente com os parentais, em 3 localidades [Sete Lagoas (MG), Goiânia (GO) e Londrina (PR)], no Brasil. Foram encontradas diferenças significativas (P < 0,01) para locais, tratamentos, heterose, heterose média, heterose nos cruzamentos e para a interação tratamentos x locais. Os "top crosses" apresentaram heterose média de 643 kg/ha (8,40%). O maior efeito de híbrido simples (SC) foi para SC-3 (628 kg/ha), e o menor, para SC- 1 (-1106 kg/ha); o maior efeito heterótico foi para SC-15 (684 kg/ha), e o menor, para SC-11 (-810 kg/ha). Para as populações, o maior efeito de população foi para CMS-06 (981 kg/ha), e o menor, para CMS-05 (-911 kg/ha). A população CMS-05 apresentou o maior efeito de heterose (471 kg/ha), enquanto que a população CMS-12 apresentou o menor (-451 kg/ha). A maior heterose específica (797 kg/ha) foi estimada para o cruzamento entre o híbrido simples SC-6 e a população CMS-06. De modo geral, os híbridos simples e as populações apresentaram maior interação com os ambientes que os "top crosses".


Palavras-chave


dialelo; híbridos simples; populações de plantas; interação

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461