Análise genética da resistência da juta ao patógene da podridão-do-caule (Macrophomina phaseolina L.)

D.K. DE, S.A.K.M. Kaiser

Resumo


Foram avaliados, durante os meses de maio a setembro (estação do 'Kharif') de 1989, nas planícies do Ganges, a oeste de Bengala, Índia, em condição de 'sick plot' (parcela infectada), os cruzamentos dialélicos - excluídos os recíprocos - entre sete variedades de juta (Corchorus olitorius L.), com o objetivo de estudar sua herança e sua capacidade de combinação, com vistas à resistência à podridão-do-caule (Macrophomina phaseolina (Tassi) Goid.). A análise genética dos dados mostrou que o efeito do gene aditivo predominou sobre o efeito do gene não-aditivo. A capacidade geral de combinação (cgc) mostrou que os pais Russian red, Sudan green, Tanganyka e JRO-878 foram os que melhor combinaram para obtenção de resistência a essa doença, enquanto o efeito da capacidade de combinação específica (cce) se mostrou maior no cruzamento Peking x JRO-7835, em que ambos os pais mostraram um efeito de capacidade geral de combinação (cgc) não desejado. Alguns dos combinantes gerais de boa qualidade também produziram um efeito desejável de capacidade geral de combinação em algumas das combinações, tais como na Russian red x JRO-878, Sudan green x JRO-878 e Tanganyka x Russian red. O índice médio da doença nos pais e sua progênies F1 mostrou, além disso, que o grau de resistência ao patógeno M. phaseolina era maior que o da susceptibilidade.


Palavras-chave


susceptibilidade; capacidade de combinação

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461