Repetibilidade e respostas de características morfofisiológicas e produtivas de capim-elefante de porte baixo sob pastejo

Bruno Leal Viana, Alexandre Carneiro Leão de Mello, Mário de Andrade Lira, José Carlos Batista Dubeux Junior, Mércia Virgínia Ferreira dos Santos, Márcio Vieira da Cunha, Geane Dias Gonçalves Ferreira

Resumo


O objetivo deste trabalho foi estimar os coeficientes de repetibilidade, de determinação (R2) e o número mínimo de medições necessárias para predizer o valor real de variáveis morfofisiológicas e produtivas, bem como as respostas do capim-elefante de porte baixo ao pastejo com ovinos. O experimento foi realizado em blocos ao acaso, com cinco tratamentos – Taiwan A-146 2.27, Taiwan A-146 2.37, Taiwan A-146 2.114, Merker México MX 6.31 e Mott – e quatro repetições, ao longo de cinco ciclos de pastejo entre setembro de 2008 e abril de 2009. Foram avaliados a altura média de plantas, o índice de área foliar (IAF), a interceptação luminosa (IL), os ângulos foliares médios (AFM), o acúmulo de forragem (AF) e a taxa de acúmulo de forragem (TAF). Para as variáveis IAF, IL e altura média de plantas, nos ciclos longos, foi necessária apenas uma medição (R2 = 80%) para classificá-las como de mais fácil predição em clones de capim-elefante. Avaliações de AF e de TAF necessitam de períodos experimentais mais longos, para maior confiabilidade na estimativa dessas variáveis resposta. Dosséis de capim-elefante de porte baixo interceptam maior quantidade de radiação incidente, quanto maior for a altura média das plantas e o IAF.


Palavras-chave


<i>Pennisetum purpureum</i>; ângulos foliares; capim-elefante anão; índice de área foliar; interceptação luminosa

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461