Biofortificação agronômica de grãos de feijão com zinco

Thaís Lopes Leal Cambraia, Renildes Lúcio Ferreira Fontes, Leonardus Vergütz, Rogério Faria Vieira, Júlio César Lima Neves, Pedro Silva Corrêa Netto, Raphael Felipe Nascimento Dias

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da aplicação parcelada e combinada de zinco foliar (ZnF) + Zn no solo (ZnS) sobre o teor de Zn dos grãos (TZnG) do feijão-comum (Phaseolus vulgaris). Dois experimentos foram realizados em casa de vegetação durante dois períodos. No primeiro experimento, duas cultivares de feijão-comum receberam seis doses de ZnF (0, 120, 240, 480, 720, ou 1.200 g ha-1), com aplicações parceladas nos estágios da planta R5, R7 e R8, ou R7 e R8, ou R8. No segundo experimento, uma cultivar recebeu três doses de ZnS (0, 5 ou 10 kg ha-1) combinadas com doses de ZnF (0, 1, 1,5, 3, 6 ou 10 kg ha-1). No primeiro experimento, com o incremento do ZnF, o TZnG aumentou linearmente de 15,3 para 20,7 mg kg-1. O parcelamento do ZnF não afetou o TZnG. No segundo experimento, o ZnF sem o ZnS não afetou o TZnG. O ZnS dobrou o TZnG em comparação ao tratamento sem aplicação de ZnS. Com 5 kg ha-1 de ZnS, o mais alto TZnG (67,5 mg kg-1) foi obtido com 7,8 kg ha-1 de ZnF. Com 10 kg ha-1, o mais alto TZnG (66,0 mg kg-1) foi obtido com 4,9 kg ha-1 de ZnF. O parcelamento do ZnF não é vantajoso em relação à aplicação única, e a combinação ZnF e ZnS aumenta o TZnG do feijão-comum em casa de vegetação.


Palavras-chave


Phaseolus vulgaris; teor de Zn nos grãos; qualidade alimentar; adubação com Zn

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461