Modelos de avaliação genética para ganho de peso pós-desmama em uma população multirracial de Angus-Nelore

Alan Miranda Prestes, Mauricio Morgado de Oliveira, Fernanda Cristina Breda Mello, Paulo Roberto Nogara Rorato, Jader Silva Lopes, Giovani Luis Feltes, André Padilha Bravo

Resumo


O objetivo deste trabalho foi identificar o modelo mais adequado para avaliação genética do ganho de peso pós-desmama em uma população multirracial de Angus-Nelore. Foram testados três modelos com uso do método de inferência bayesiana: animal tradicional (M1), animal multirracial sem (M2) e com segregação (M3). A escolha do melhor modelo seguiu os critérios: número de parâmetros (Np), critério de desvio de informação (CDI), predição condicional (PCO) e desvio com base nos fatores de Bayes. Foram estimadas as correlações de postos de Spearman para os 10, 20 e 30% melhores touros. M1 apresentou os maiores valores para todos os critérios, exceto para Np, e a menor estimativa de herdabilidade direta, de 0,15±0,01. As estimativas de herdabilidade de M2 e M3 foram maiores e similares, de 0,29±0,02 e 0,27±0,02, respectivamente. M3 apresentou os menores valores para desvio-médio, CDI e PCO, tendo sido o modelo de melhor ajuste entre os três testados. A correlação de Spearman entre os valores genéticos previstos para os modelos variou de 0,69 a 0,99. Os modelos multirraciais são mais adequados para a avaliação genética de populações multirraciais, e o M3 apresenta o melhor ajuste para a população estudada.

Palavras-chave


produção animal; cruzamento; dominância; perda epistática; parâmetros genéticos

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461