Substituição parcial de milho por cascas de soja em dietas de alta percentagem de grãos para ovinos confinados

Antonio Carlos Homem Junior, Bruno Faleiros Nocera, Lucas Figueiredo Faleiros, Marco Túlio Costa Almeida, Josimari Regina Paschoaloto, Henrique Leal Perez, André Pastori D’Áurea, Jane Maria Bertocco Ezequiel

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a substituição parcial de milho por cascas de soja, em dietas de alta percentagem de grãos, e seu efeito sobre o comportamento alimentar e os parâmetros de fermentação ruminal em ovinos confinados. Oito carneiros com rúmens canulados foram distribuídos em quatro grupos experimentais, compostos de um controle, alimentado com uma dieta de 50% de silagem de milho e 50% de concentrado, e em três grupos alimentados com as seguintes dietas com alta percentagem de grãos: 85% de milho (Diet85), 75% de milho e 10% de cascas de soja (Diet75), e 65% de milho e 20% de cascas de soja (Diet65). Os tratamentos de alta percentagem de grãos reduziram o tempo de ruminação e proporcionaram maior degradação da matéria seca do alimento, maior concentração de ácido propiônico, menor concentração de ácido acético, menor produção de gás metano e carbono, e menor valor de pH ruminal. A Diet65, com 20% de casca de soja, promoveu o aumento da proporção de ácido acético, com a redução da relação CO2:CH4 no rúmen. Ao final da incubação in vitro, o valor de pH foi maior na dieta-controle, e menor na Diet85. A inclusão de cascas de soja não altera a produção de metano nem a degradação da matéria seca e pode ser usada para substituir até 20% do milho em dietas de alta percentagem de grãos.

Palavras-chave


dióxido de carbono; degradação da matéria seca; comportamento ingestivo; gás metano; ácidos graxos de cadeia curta

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461