Aplicação de nitrogênio via foliar e em cobertura na cultura do feijoeiro comum

Tailene Elisa Kotz-Gurgacz, Rogério Peres Soratto, Fernando Vieira Costa Guidorizzi

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da aplicação de fontes de N via foliar e de doses de N via solo no crescimento, na absorção de N e na produtividade de grãos e de proteína bruta da cultura do feijão comum (Phaseolus vulgaris). Foram conduzidos três experimentos – dois em condição irrigada e um em sequeiro – no ano agrícola 2012/2013, em delineamento de blocos ao acaso, com quatro repetições. Os tratamentos consistiram da aplicação de: quatro doses de N via solo (0, 45, 90 e 180 kg ha-1), em cobertura, no estádio V4; e cinco fontes/doses de N via foliar – i.e., testemunha, sem N via foliar; 2,5 kg ha-1 de N na forma de ureia convencional (N-UC); 5,0 kg ha-1 de N-UC; 2,5 kg ha-1 de N na forma de ureia-formaldeído de liberação lenta (N-LL); e 5,0 kg ha-1 de N-LL –, no estádio R5. A adubação nitrogenada via solo, com doses entre 124 e 180 kg ha-1, aumenta o teor e o acúmulo de N na parte aérea, o número de vagens por planta, a produtividade de grãos, e o teor e a produtividade de proteína. Independentemente do ambiente de cultivo e da aplicação de N via solo, o fornecimento de N na forma de ureia-formaldeído de liberação lenta via foliar aumenta a produtividade de grãos e de proteína, enquanto a aplicação da maior dose de N na forma de ureia convencional também aumenta a produtividade de grãos.


Palavras-chave


Phaseolus vulgaris; adubação foliar; adubação nitrogenada; liberação lenta; ureia-formaldeído

Texto completo:

Sem título (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461