Características químicas, estabilidade aeróbia e contagem microbiológica de silagens de milho reensiladas com inoculante bacterian

Mateus Merlo Coelho, Lucio Carlos Gonçalves, José Avelino Santos Rodrigues, Kelly Moura Keller, Gustavo Vinícius de Souza dos Anjos, Daniel Ottoni, Pedro Henrique Fulgêncio Michel, Diogo Gonzaga Jayme

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da reensilagem e do uso de inoculante bacteriano sobre a qualidade da silagem de milho. O experimento foi realizado em delineamento fatorial 2x2, com o uso ou não de inoculante (associação de Lactobacillus plantarum e Propionibacterium acidipropionici), e reensilagem após 36 horas de exposição aeróbia ou somente com ensilagem da planta inteira de milho 'BRS 1055'. Avaliaram-se a qualidade fermentativa, os parâmetros nutricionais, as perdas de matéria seca, a estabilidade aeróbia e a contagem microbiológica das silagens. A reensilagem causou o aumento do pH e das concentrações dos ácidos acético e propiônico, assim como dos teores de matéria seca (MS), proteína bruta, fibra em detergente neutro e fibra em detergente neutro corrigida quanto a cinzas e proteínas. Em contrapartida, houve redução da concentração de carboidratos não fibrosos e da digestibilidade in vitro da matéria seca no material reensilado. Todas as alterações foram explicadas pela maior produção de efluentes e pela perda de MS do material reensilado, que foi submetido a duas compactações. A microbiologia não foi alterada pelos tratamentos. A utilização de inoculante alterou o teor de cinzas do material, mas não influiu nos demais parâmetros. No entanto, a reensilagem, após 36 horas de exposição aeróbia, provocou redução do valor nutritivo da silagem de milho e acentuou as perdas de MS.


Palavras-chave


aditivos; deterioração aeróbia; perdas de matéria seca; reensilagem

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461