Anemia infecciosa equina afeta o desempenho atlético de equinos da região do Pantanal brasileiro

Débora Roque de Freitas Andrade, Adalgiza Souza Carneiro Rezende, Sandra Aparecida Santos, Márcia Furlan Nogueira, Juliano Martins Santiago, Jessica Lage, Marília Martins Melo, Jenner Karlisson Pimenta Reis, Pablo Trigo

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da anemia infecciosa equina (AIE) no desempenho físico de equinos da região do Pantanal brasileiro. Foram avaliados 16 machos, divididos em dois grupos: 8 soronegativos (G1) e 8 soropositivos (G2) para AIE. Dois testes de esforço progressivo foram realizados, antes (T1) e após (T2) 42 dias de treinamento. Foram registrados frequência cardíaca, concentração de lactato, distância percorrida e níveis de hematócrito. Em ambos os testes, o G1 percorreu uma distância maior. No T2, o G2 apresentou menores níveis de hematócrito e menor velocidade obtida a diferentes concentrações de lactato e frequências cardíacas. O desempenho atlético dos equídeos avaliados é afetado pela anemia infecciosa equina.


Palavras-chave


raça brasileira; áreas endêmicas; equideocultura; anemia infecciosa equina; fisiologia do exercício em equinos

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461