Anatomia foliar de capim-marandu cultivado em arranjos de plantio em sistemas agrossilvipastoris

Marcia Vitoria Santos, Evander Alves Ferreira, Priscila Junia Rodrigues da Cruz, Victor Hugo Vidal Ribeiro, Brenda Thaís Barbalho Alencar, Cássia Michelle Cabral, Dayana Maria Teodoro Francino, Ignácio Aspiazú

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos de diferentes arranjos de plantas de eucalipto sobre as características morfoanatômicas de lâminas foliares de plantas de capim 'Marandu' [(Urochloa brizantha (Syn. Brachiaria brizantha)] cultivadas em sistemas agrossilvipastoris. O experimento foi estabelecido em condições de campo, em um delineamento de blocos ao acaso, com quatro repetições, em que as parcelas foram representadas pelos espaçamentos de plantio de eucalipto (12x2 e 12x4 m), e as subparcelas, pela distância entre o capim 'Marandu' e as fileiras de eucalipto (6, 4 e 2 m). Adicionou-se um controle apenas com capim 'Marandu', cultivado a sol pleno. As variáveis de anatomia foliar do capim 'Marandu' foram avaliadas quanto à interferência do sombreamento pelas árvores. A distância entre as plantas de capim 'Marandu' e as linhas de eucalipto interferiram na anatomia da lâmina foliar da forragem, e as maiores modificações ocorreram nas medidas lineares e proporções teciduais nos arranjos com maior densidade de eucalipto. A interferência do sombreamento pelo eucalipto nas características anatômicas das folhas de capim 'Marandu' depende do arranjo adotado. Isto ocorre em razão da adaptação do capim à baixa incidência de luz, com a consequente redução de sua atividade fisiológica e crescimento.


Palavras-chave


Urochloa brizantha; sistemas agroflorestais; integração lavoura-pecuária-floresta; características morfoanatômicas

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461