Influência do tratamento pré-colheita com 1-aminoetoxivinilglicina e ácido giberélico na fisiologia e na qualidade de pedúnculos de caju

Kellina Oliveira Souza, Cícera Vanuza Xavier, Mônica Maria de Almeida Lopes, Carlos Farley Herbster Moura, Ebenezer Oliveira Silva, Jesus Fernando Ayala-Zavala, Maria Raquel Alcântara de Miranda

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do tratamento pré-colheita com ácido giberélico (GA3) e 1-aminoetoxivinilglicina (AVG) nos atributos de qualidade e fisiológicos de pedúnculos maduros de cajueiro (Anacardium occidentale) 'CCP 76', em diferentes estádios de desenvolvimento. Foram realizadas pulverizações com 180 mg L-1 GA3 e 180 mg L-1 AVG, combinadas e isoladas, aos 34, 40 e 44 dias após a antese (DAA), e os pedúnculos foram colhidos maduros aos 46 DAA para avaliações de variáveis físicas e fisiológicas. O tratamento com GA3 proporcionou pedúnculos mais firmes e com maior diâmetro apical, mas não influenciou as variáveis fisiológicas atividades das enzimas pectinametilesterase e poligalacturonase da parede celular e grau de peroxidação lipídica das membranas biológicas, nem os atributos físicos massa total (pedúnculo e castanha) e comprimento e largura da castanha. Em estádios iniciais (34 DAA), GA3 aumentou a atividade das enzimas antioxidantes superóxido dismutase e catalase, e, nos finais (40 DAA), promoveu o acúmulo de polifenóis e carotenoides. A aplicação de AVG, ao final do desenvolvimento (44 DAA), proporcionou maior atividade antioxidante, apesar da menor atividade da ascorbato peroxidase. A aplicação de GA3 em pré-colheita promove aumento da firmeza e do diâmetro dos pedúnculos de cajueiro, e o tratamento com AVG aumenta a atividade antioxidante dos pedúnculos.

Palavras-chave


Anacardium occidentale; AVG; GA3; compostos fenólicos

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-1813