Relação entre dados de sensoriamento remoto e perdas de solo em entressulcos observadas em campo

André Geraldo de Lima Moraes, Daniel Fonseca de Carvalho, Mauro Antonio Homem Antunes, Marcos Bacis Ceddia

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a relação entre diferentes dados de sensoriamento remoto, derivados de imagens de satélite, e perdas de solo em entressulcos obtidas em campo por meio de um simulador de chuvas portátil. O estudo foi realizado em uma microbacia hidrográfica localizada no Médio Paraíba do Sul, no Estado do Rio de Janeiro – uma das regiões mais afetadas por erosão hídrica no Brasil. Foram avaliados diferentes índices de vegetação (NDVI, Savi, EVI e EVI2) e frações de componentes puros (FCP), derivados de modelos lineares de mistura espectral (MLME), obtidos de imagens RapidEye, Sentinel2A e Landsat 8 OLI. Os índices de vegetação são mais adequados à predição da perda de solo do que as FCP, com destaque para o EVI2, cujo modelo exponencial apresentou R2 de 0,74. Os melhores modelos de predição são gerados a partir da imagem RapidEye, que apresenta maior resolução espacial entre os sensores avaliados.


Palavras-chave


modelos lineares de mistura espectral; simulador de chuva; índices de vegetação

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-1813