Produção, composição química e qualidade de café arábica submetido a doses de cobre

Herminia Emilia Prieto Martinez, José Soares de Lacerda, Junia Maria Clemente, Jaime Barros da Silva Filho, Adriene Woods Pedrosa, Ricardo Henrique Silva Santos, Paulo Roberto Cecon

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do cobre na composição química dos grãos de café e na qualidade da bebida, bem como relacionar ambas aos teores foliares de Cu do cafeeiro (Coffea arabica). Cultivaram-se cafeeiros em sistema hidropônico com 0,2, 0,4, 0,8, 1,6 e 3,2 μmol L-1 de Cu até a produção de frutos. Avaliou-se a produção do café, e, após secagem dos grãos maduros, determinaram-se: a concentração foliar de cobre; a acidez total titulável; o índice de coloração; a condutividade elétrica; o K lixiviado; a atividade da polifenoloxidase (PPO); as concentrações de cafeína, trigonelina, ácidos orgânicos, fenóis totais, ácidos clorogênicos (3-CQA, 4-CQA e 5CQA), sacarose, glicose, arabinose, manose e galactose; e a qualidade sensorial dos grãos torrados. O Cu aumentou a produção de grãos, a atividade de PPO e as concentrações de ácidos orgânicos, 3-CQA, sacarose e arabinose. A acidez total titulável, os fenóis totais e o 4-CQA e o 5-CQA foram reduzidos com o incremento das doses de Cu. Os teores foliares relacionados aos valores máximos e mínimos dos atributos de qualidade desejáveis e indesejáveis variaram de 5,6 a 11,4 mg kg-1 de Cu, respectivamente. O cobre afeta a produção e a composição química dos grãos de café, e os atributos relacionados à qualidade são maximizados com baixas concentrações foliares do nutriente.

Palavras-chave


Coffea arabica; nutrição; análise sensorial

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-1813