Trichogramma galloi e Trichogramma pretiosum para o manejo de Duponchelia fovealis (Lepidoptera: Crambidae) em morangueiro

Victor Dias Pirovani, Dirceu Pratissoli, Marcel Oliveira Tibúrcio, José Romário de Carvalho, Alixelhe Pacheco Damascena, Luana Viana Faria

Resumo


O objetivo deste trabalho foi estimar o número ideal de Trichogramma galloi e T. pretiosum para liberação em campo, para o manejo de Duponchelia fovealis (Lepidoptera: Crambidae) em morangueiro (Fragaria x ananassa). O experimento foi implantado em casa de vegetação, onde morangueiros da cultivar 'Oso Grande' foram infestados com 100 ovos de D. fovealis distribuídos na área foliar de cada planta. Foram liberadas 1, 2, 4, 8, 16, 32, 64 e 128 fêmeas parasitoides por ovo de D. fovealis. O maior nível de parasitismo, sem diferenças entre as espécies de Trichogramma, foi observado às densidades de quatro e oito parasitoides por ovo de D. fovealis, consideradas ideais para liberação em campo.


Palavras-chave


Fragaria x ananassa; controle biológico; lagarta do morangueiro

Texto completo:

PDF (English)


Embrapa Informação Tecnológica
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-4231 / 3448-4162 - Fax: (61) 3272-4168