A adubação I. Fator Básico para aumentar a produção brasileira de alimentos

Raul E. Kalckmann

Resumo


O autor discute a importância da adubação como fator fundamental para aumentar a produção brasileira de alimentos. O trabalha é desenvolvido baseado em resultados de experimentos de adubação, feitos em alguns Estados brasileiros (Pernambuco, São Paulo, Rio Grande do Sul) e mostra a percentagem de aumento da produção que se obtém com a aplicação de fósforo isolado, do fósforo mais nitrogênio e de fosforo mais nitrogênio e mais potássio. Tomou-se como culturas indicadoras o trigo, o arroz, o milho e a soja, no Rio Grande do Sul; a cana-de-açúcar e o milho em São Paulo; o milho, o arroz, a mandioca e a cana-de-açúcar em Pernambuco. No Sul de nosso país observa-se aumentos que vão de 24 a 97% e em Pernambuco, aumentos que vão até 115%, não se levando em conta o caso dos Tabuleiros, onde a produção sem adubo é nula. O elemento chave de adubação pode ser considerado o fósforo, seguido pelo nitrogênio e pelo potássio. Os resultados, condensados em 11 pequenos gráficos, não deixam margem a dúvidas de que, com o uso generalizado de adubação, será possível aumentar a produção brasileira de alimentos, em níveis que podem oscilar entre 20 e 100%. Variação tão ampla é devida às culturas, as quais não reagem igualmente as adubações, bem como também devida aos anos ainda não existe cultura ou trato cultural capaz de superar o efeito depressivo causado por um clima desfavorável. Compare-se as produções de trigo, de arroz, de milho e de soja no Rio Grande do Sul, nos anos de 1962 (um bom ano para agricultura) e 1963 (um ano mau) e a afirmação torna-se evidente. As culturas, neste trabalho representam tão somente índices. Os quadros apresentados evidenciam a possibilidade de aumentar, em alta percentagem, o volume da produção de alimentos em nosso país, pois as conclusões não se limitam às culturas enumeradas, mas podem ser estendidas à do feijão, da batatinha, da batata-doce e especialmente às forrageiras, o que implica em aumento proporcional de leite e de carne. Sem pastagens artificiais de alta produção, não será possível estabilizar a produção destes alimentos essenciais e contrabalançar o mau efeito do frio ou da seca sobre o gado. Mas, aumentar a produção, exclusivamente através de medidas técnicas, das quais a adubação é uma das principais, não resolverá o problema brasileiro da produção de alimentos. O armazenamento como medida para enfrentar os anos ou períodos de baixa produção, um preço mínimo compensador e a colocação de toda a produção, são medidas complementares imprescindíveis. As negociações em andamento com os E.U.A. para o fornecimento de grande volume de adubos e o uso das importâncias obtidas com a venda destes para a instalação de fábrica de adubos e a fixação dos preços mínimos de muitos produtos agrícolas, podem ser considerados os primeiros passos para a solução do problema. O que foi exposto não esgota o assunto. A correção da acidez do solo com calcário, o uso de elementos menores e a mecanização e mesmo a motorização da agricultura, são outras medidas que contribuirão com o seu quinhão, mas nenhum será capaz de aumentar a produção, a curto prazo, como a adubação generalizada.


Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461