Análise econômica de experimentos com forragens e gado realizados no Estado de São Paulo

Stanley F. Miller, L. R. Quinn, G. O. Mott

Resumo


O propósito dêste manuscrito é reunir em um só trabalho a experiência do Instituto de Pesquisas IRI em pastagens e pecuária, no Estado de São Paulo, e analisá-lo sob o ponto de vista econômico. Para êste fim, tiveram que ser fitas muitas pressuposições. Tais pressuposições são baseadas nas condições da área onde os experimentos foram realizados, podendo não ser aplicáveis, de modo geral, para todo o Brasil ou mesmo para outras áreas do Estado de São Paulo. Espera-se que os métodos usados sejam suficientemente claros para que os interessados possam utilizá-lo fazendo suas próprias pressuposições, e assim possam responder às questões dêste trabalho, sob condições específicas de suas localidades. Como resultado dos dados e pressuposições feitas, parece que: a) O capim Pangola comum (Digitaria decumbens) é, das seis gramíneas examinadas, a que dá maior lucro anual. Isto acontece por controlar eficientemente a invasão da grama Batatais e por manter uma produção relativamente constante no decorrer do ano. O competidor mais aproximado foi o Colonião, porém não conseguiu manter produção constante durante as diferentes épocas do ano. b) Pode-se dizer, de modo geral, que a utilização de 100 kg de nitrogênio disponível por hectare de pastagens de capim Colonião parece ser lucrativa. O uso de 200 kg parece ser aproximadamente o ponto onde o custo marginal iguala a renda marginal e assim é o ponto onde o lucro desaparece. c) A utilização, tanto do estilbestrol como do melaço, parece ser lucrativa. d) O uso de farelo de milho ou de uma ração com baixo teor de proteína pode ser lucrativo em pastagens de baixa qualidade, se o aumento do pêso puder ser mantido posteriormente. No momento, não há certeza quanto a essa possibilidade. Há necessidade de maiores estudos para verificação dêsse ponto.


Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461