Vernonia mollissima, planta tóxica responsável por mortandades de bovinos no Sul de Mato Grosso

Jürgen Döbereiner, Carlos Hubinger Tokarnia, Élio Purisco

Resumo


Foi caracterizado o quadro patológico de doença que causa, anualmente, mortandades em bovinos na época de brotação dos pastos, principalmente após a queima dos campos, nas regiões da cabeceira do Rio Apa, município de Ponta Porã, e da Fazenda Margarida e vizinhanças, municípios de Bela Vista e Caracol, no Estado de Mato Grosso. Trata-se de doença causada por agente hepatotóxico. Experimentos foram realizados em bovinos com Vernonia mollissima Don, uma Composta que ocorre nessa região. A planta foi administrada por via oral, em estado verde fresco, a sete bovinos, dos quais quatro adoeceram e morreram, e em estado dessecado, a quatro bovinos, dos quais três morreram. Em estado verde fresco, as quantidades necessárias para causar doença e morte nos bovinos variaram de 10 a 20 g da planta por kg de peso dos animais. A planta dessecada guardada à temperatura ambiente durante um ano não diminuiu em toxicidade. Os primeiros sintomas, nos experimentos com a planta verde fresca, apareceram dentro de 15 a 29 horas após a administração e os sintomas, que duraram de 20 a 34 horas, foram principalmente anorexia, prisão de ventre, tremores musculares, respiração laboriosa e morte após o animal ter ficado em decúbito lateral, fazendo movimentos de pedalagem, por 3 a 10 horas. Os principais achados de necropsia nesses experimentes foram: no fígado, aspecto de noz moscada com exceção da porção esquerda do lobo esquerdo que tinha coloração amarelada, e congestão e hemorragias, principalmente por diapedese, no intestino delgado, ceco e cólon. As alterações histopatológicas mais importantes foram necrose maciça das células hepáticas. Comparando-se o quadro patológico da doença espontânea e o da intoxicação experimental com V. mollissima e levando-se em consideração os históricos colhidos, as observações feitas no campo e a distribuição desta planta, concluiu-se que Vernonia mollissima deve ser responsável pelas mortandades que ocorrem nas regiões acima referidas no período de brotação dos pastes.


Palavras-chave


<i> Vernonia mollissima</i>; Compositae; plantas tóxicas; plantas hepatotóxicas; intoxicação por planta; bovinos; patologia

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461