Absorção de fósforo como critério de seleção de genótipos de soja quanto à tolerância ao alumínio

Alfredo Joaquim Castells, Nairam Félix de Barros, Roberto Ferreira de Novais, Renato Sant’Anna, Júlio César Lima Neves

Resumo


Utilizou-se a absorção de fósforo (P) como critério de seleção de genótipos de soja (Glycine max (L.) Merrill) quanto à tolerância ao alumínio (Al). Plantas dos genótipos Bragg, IAC-2, UFV-1, UFV-4, UFV-79-55 e UFV-80-65 foram inicialmente cultivadas em solução nutritiva completa, contendo Al (2 ppm) ou não, sob condições de casa de vegetação. As plantas foram posteriormente transferidas para uma câmara de crescimento onde, num primeiro ensaio, sob os mesmos tratamentos quanto ao Al, estudou-se a absorção de P segundo a metodologia de Claassen & Barber. Constatou-se que o Al aumentou a absorção de P, exceto no UFV-1, onde ela não variou, e no Bragg em que ela diminuiu, quando comparadas com o tratamento sem Al. A seguinte ordem quanto à taxa de absorção de P em presença de Al foi estabelecida: UFV-4 > IAC-2 > UFV-1 > UFV-79-55 > UFV-80-65 > Bragg. Num segundo ensaio, e com os mesmos tratamentos, determinaram-se os parâmetros cinéticos (Imax e Km) da absorção de P, usando-se, neste caso, o 32P. O Al tendeu á diminuir o Imax no UFV-80-65, Bragg, UFV-79-55 e UFV-4 e aumentou no IAC-2 e UFV-1. O Km de todos os genótipos foi aumentado pela presença do Al. Os resultados indicaram que estes parâmetros (Imax e Km) podem ser utilizados como critério para seleção de genótipos de soja quanto à tolerância ao Al.


Palavras-chave


Glycine max; solução nutritiva; parâmetros cinéticos

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461