Acúmulo e distribuição de matéria seca em mandioca submetida a deficiência hídrica

Marcio Carvalho Marques Porto, James H. Cock, Giovanna G. de Cadena, Germán E. Parra, Ana Del Pilar Hernández

Resumo


Foi avaliado o crescimento da cultivar de mandioca M Col 1684, sob estresse hídrico, por um período de 100 dias, imposto a partir de três e seis meses após o plantio. O experimento foi instalado, em condições de campo, em Santander de Quilichao, Colômbia, em um lisímetro com dimensões de 30m x 15m x 2,3m. A acumulação total de matéria seca, avaliada através de amostragens periódicas de plantas, foi reduzida, em condições de deficiência de água, principalmente em plantas que sofreram essa deficiência após três meses de ciclo. O mesmo comportamento foi observado em relação ao peso de raízes. Reduções no peso seco da parte aérea e da área foliar foram também observadas como resultantes da deficiência hídrica, sendo causadas, nas plantas mais jovens, por menores taxas de expansão das folhas e, nas plantas mais velhas, por aumento significativo do número de folhas caídas.


Palavras-chave


Manihol esculenta; análise de crescimento

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461